#Eurotrip2015 - O que achei de Londres

domingo, 12 de julho de 2015
<brunodeluca>FAAAAAAAAAALA GALERA!!!</brunodeluca>

Quinta-feira foi feriado aqui em SP e aproveitei pra levar minhas sobrinhas para ver o filme dos Minions, e a história é praticamente toda ambientada em Londres e me deu uma saudinha de LONDON <3 rs

Então lembrei que precisava vir aqui relatar minha curtíssima experiência na terra da Rainha. Ok, foram 3 dias e meio. Ok, fui na primavera (época em que a cidade fica menos "cinza"), ok ok ok ... mas o fato é que eu simplesmente me apaixonei por Londres! Sério!


Eu cheguei em Londres vindo de Paris, e como contei aqui eu não saí de lá com a melhor das impressões. Daí cheguei em Londres, expectativas lá embaixo, torcendo apenas pra ter uns dias bons por lá e PLÁU fui dibrada pelo David Beckham.

Primeiramente pela segurança: toda a tensão que vivi em Paris eu desencanei logo que pisei em Heathrow. Em Londres sim eu tirei um peso das costas e pude andar tranquilamente pelas ruas, de metrô, não tinha neura. Não tinha vendedor de pau de selfie. Não tinha gente esquisita te abordando pra amarrar fitinha no seu braço. Não tinha nada de ruim. Então isso, só isso, já me fez me apaixonar pela cidade.

Meu hotel ficava perto da estação de Paddington, na região central, então eu continuei fazendo tudo de metrô e foi facílimo. E lembram que eu sofri com a galera do meu hotel em Paris? Então, que diferença em Londres! Eles eram MUUUUUUUUUUUITO SIMPÁTICOS, muito educados! Eu lembro que fazendo o check in eu perguntei ao rapaz da recepção onde eu poderia comprar alguns adaptadores, e ele disse que no quarto tinha, mas que se eu precisasse de mais eles tinham um monte na recepção. Caras, que diferença! E foi assim durante toda a minha estadia!

Londres não tem tantas atrações grandiosas como Paris, mas o pouco que conheci foi maravilhoso! O único dia que peguei frio foi o primeiro, garoa e frio... Os outros dois dias foram maravilhosos. Eu fiz todo o circuito turístico em dois dias:

Dia 1 - Big Ben, London Eye, Abadia de Westminster, Palácio de Buckingham, Trafalgar Square, National Gallery, Piccadilly Circus. E voltei na London Eye a noite, pois cedo estava garoando e a noite não.

PS: Uma observação especial à Troca da Guarda - É UM PUTA PROGRAMA DE ÍNDIO COM SELO FUNAI DE QUALIDADE! Juro! Lotado, não dá pra ver direito, enfim... é muito chato, mas lógico, você tá em Londres você tem que ir rs.

Dia 2 - Catedral de St. Paul, Tate Modern, Torre de Londres, Tower Bridge e Primark hehehe (Primark é uma loja de departamento na Oxford Street com 4 andares e preços baixíssimos... as MINA PIRA)

Em um dos três dias na cidade eu fiz umas fotos com uma fotografa brasileira super fofa chamada Carla Costelini. Foi bem bacana pois viajando sozinha eu queria ter umas fotos bonitinhas, e ela estava com uma promoção legal. Neste dia, após o ensaio, eu fui pra Greenwich (onde fica o Meridiano <3), depois fui Notting Hill, Portobelo Road e para a Abbey Road (faixa de pedestre dos Beatles).

Enfim, foi tudo muito mágico :) Londres foi realmente um lugar que eu sinto vontade de morar. Aliás, está batendo muito forte no meu coração a vontade de passar uma temporada morando lá. Vamos ver, tá nas mãos de Deus :)

Algumas fotos:














Quando: 01/Jun a 05/Jun
Onde fiquei: Hotel Stylotel (veja resumo do hotel no Trip Advisor) 
Transporte: Metrô para tudo (comprei o Oyster Card, que usei inclusive para pegar o barco para ir para Greenwich)
O que eu fiz: Fiz o tour na London Eye, entrei no observatório de Greenwich e fui no Tate Modern e National Gallery (ambos grátis). Não fiz muita coisa em Londres pois é tudo muito caro :/ mas quando eu voltar (risos) quero ir a locais que não conheci, como Camden Town e Stonehenge.

Itinerários a pé em 2 dias:
Dia 1
Dia 2

Enfim, é isso! Depois volto pra contar como ir para Greenwich de transporte público.

Bjs
Fabi

Dica: Como ir para EuroDisney de trem

sábado, 27 de junho de 2015
Bonjour! Crème brûlée petit gateau tresemmé ratatouille...

Tudo bem com vocês? Eu estou aqui em pleno sábadão sertanejo, trabalhando igual uma camela, fechamento de quartil e lembrando que há 1 mês eu estava desembarcando na cidade luz :)

Aaaaahhhhhhh como o tempo passa rápido! Mas, conforme prometido estou aqui para relatar como fiz para ir de trem de Paris até a EuroDisney.

PS: Hoje o complexo de parques chama "Disneyland Paris" mas pra sempre eu vou chamar de EuroDisney rs


Vamos lá! Ir para Disney de trem foi MUITO FÁCIL. Muito fácil mesmo! E olha que no dia anterior eu tinha ido pra Versailles (conforme relatado aqui) e como quase tinha entrado no trem errado eu estava meio apreensiva de dar merda pra Disney.

Para ir de trem pra lá devemos pegar o trem RER A com destino à cidade de Marne-la-Vallée. Portanto, você precisa chegar à alguma estação em que o RER A pare, são elas: Châtelet-Les-Halles, Gare de Lyon e Nation. Eu peguei na Nation, foi super simples.

Em alguma destas estações procure as máquinhas que vendem os tickets. Só procurar por Disneyland e comprar o bilhete (compre ida e volta, mais fácil).

Então, siga as placas! Lindamente as placas que sinalizam para o trem que vai para a Disney tem o logo das orelhnhas do Mickey em marrom, ou seja: NÃO TEM COMO ERRAR.

Na plataforma para pegar o trem é mais fácil ainda: tem um painel luminoso com o nome de todas as estações. Se a luzinha com o nome de Marne-la-Vallée estiver apagado, o trem não vai pra lá, então NÃO ENTRE. Se a luzinha estiver acesa, entre, sente e aproveite a viagem :)

São uns 40 minutos de Paris até a Disney. Super tranquilo. E super barato :) paguei EUR 12 os tickets de ida e volta. Você vai descer no ponto final e a saída da estação de trem já é quase na "boca" da entrada dos parques.

Minha experiência na Disneyland Paris:

- Bom, eu nunca havia ido para nenhuma Disney, então a EuroDisney foi a minha primeira e foi bem gostosinho.

- A Disney de Paris tem dois parques - o Disneyland Park e o Walt Disney Studios. Eu comprei o ticket pela internet, no site deles e me dava direito aos dois parques em 1 dia. O Disneyland tem mais atrações de crianças, o castelo da cinderela, acontece a parada... Eu fiquei mais no Walt Disney Studios.

- Fui em poucos brinquedos, e este dia foi o único dia que senti falta de pessoas comigo. Não ligo de viajar sozinha, mas um parque de diversões meio que faz falta gente conhecida pra passar o tempo na fila dos brinquedos. A única vantagem em estar sozinha era pegar as filas de single riders rs

Todos os brinquedos que fui eram do Walt Disney Studios:
* Ratatouille: The Adventure: Um carrinho de rato numa atração 3D numa cozinha gigante, pra se sentir como o Remy.

* RC Racer: não sei explicar, é um carrinho que fica indo e voltando num trechinho de montanha-russa, legalzinho.

* Armageddon Les Effets Speciaux: muito chato. Tipo, muito. 15 minutos pra esperar começar, depois uma apresentação, depois uns videos sobre efeitos especiais em filmes, etc... Só é legal os ultimos 5 minutos onde entramos numa sala que simula uma cápsula da nave (?) do filme Armageddon e tem os efeitos especiais. O efeito do ultimo segundo, este sim é muuuuuito legal. Mas só.

* Rock 'n' Roller Coaster starring Aerosmith: A montanha-russa do Aerosmith!!!! Muito legal, na fila já vemos uma exposição de instrumentos musicais de rock stars, bem bacana. Os trilhos são numa área interna, tudo escuro, com as luzes, tocando Aerosmith no ultimo volume, muito legal.

* The Twilight Zone Tower of Terror™: O que mais gostei. É um hotel mal assombrado, a encenação já começa na fila com os "funcionários" do hotel, e o brinquedo é como se passasse no elevador. Genial, o que mais gostei.

Pronto, só fui nisso. Almocei e fui pro parque Disneyland, assisti a Parada e já estava só o pó da rabiola. Talvez se eu estive com mais pessoas eu ficasse pra ver a parada de noite, mas meu cansaço falou mais alto e umas 16h00 eu já estava indo pra estação pra voltar pra Paris.

Mas foi super bonitinho :) gostei e valeu a pena. Se você tiver mais de 4 dias em Paris e tiver crianças, acho que vale a pena "gastar" um dia na EuroDisney.








É isso aí! Próximo post será sobre o que achei de Londres!! Spoiler: ♡ ♡  ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡  ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡  ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡  ♡ ♡ ♡ ♡ ♡ ♡

Bjs
Fabi

Dica: Como ir para Versailles/Versalhes de trem

terça-feira, 16 de junho de 2015
Bonjour :)

Conforme prometido vim aqui relatar a minha experiência de ir para Versailles (ou Versalhes, como prefiram) de transporte público.


Primeiramente, falando sobre o ingresso: eu comprei pelo site do escritório de turismo de Paris por 18 euros - era válido para dias de semana e dava acesso a tudo (chateau, grand trianon, petit trianon e jardins). O único inconveniente é que precisa buscar o ticket no escritório, que fica perto do Louvre, então você precisa analisar se vale mais comprar on line ou comprar lá na hora.

Mas vamos falar do trajeto! Como disse no último post eu fiz tudo de metrô lá, e para Versalhes eu utilizei o metrô para chegar até a estação que pegaria o trem. O trem que vai para Versalhes é o RER C. Mas o trem que vai para a estação mais próxima ao palácio, que dá pra ir a pé é o RER C5 - Versailles Rive Gauche.

Eu peguei o RER C5 na estação Gare d'Austerlitz, que era mais fácil pra mim, mas este trem para em outras estações do centro, como:

  • Champ de Mars - Tour Eiffel
  • Pont de l'Alma
  • Invalides
  • Musée d'Orsay
  • St-Michel - Notre-Dame
  • Bibliothèque François Mitterrand

Cabe a você analisar qual estação ficará mais fácil para você :)

Na estação Gare d'Austerlitz eu comprei o ticket que me daria direito de chegar à zona de Versailles, pois o ticket de metrô comum que estava usando por Paris não nos dá direito a ir para Versailles - muito cuidado aqui pois se te pegarem sem o ticket certo você pode pagar uma multa :/

Para comprar o ticket foi muito simples - naquelas máquinas você seleciona que quer comprar ticket para viajar na região de Paris e seleciona a letra V de Versalhes - ali você pode comprar o de ida ou ida e volta (que eu recomendo muito, pois a estação de Versalhes é bem pequena e pode estar lotada na sua volta). O preço varia de acordo com a estação em que você está - quanto mais perto de Versalhes, menos pagará. Eu paguei 6,50 euros por trecho.

Agora, MUITA ATENÇÃO! Eu fui seguindo as placas que direcionavam para o RER C e por um segundo eu não peguei um trem completamente errado, apesar de estar escrito Versailles nele, eu estava na plataforma errada!!! Por sorte, antes de entrar no trem eu perguntei para uma pessoa se aquele trem me levaria ao chateau de Versailles e uma moça muito simpática e solícita me ajudou, desceu comigo para a plataforma certa e me salvou :) - então, por mais que você tenha 100% de certeza, pergunte :)

Agora, é só curtir a paisagem e descer na estação Versailles Rive Gauche :)

Saindo da estação vire a direita e no farol vire a esquerda. Ande uns 3 minutos a pé e já verá os portões de entrada parecido com isso:


Se você já tiver ingresso, dirija-se à entrada para quem tem ingresso, se não, precisa se dirigir à bilheteria.

Minha experiência em Versalhes:

- Cheguei e tinha uma fila imensa até o portão, achei que era pra comprar ingresso, que nada! Era pra entrar (cheguei bem na hora da abertura), mas foi bem tranquilo.

- Fui direto para o chateau (e acho que todo mundo) e tudo estava lotado! Não dava nem pra tirar foto direito. O meu ticket dava direito a pegar um audioguia MAS eu não suporto esses trecos. Ok que eu não soube de nada da história do que eu vi, mas não me importo, depois eu leio e aprendo sobre o local.



- Depois fui para o trenzinho para me dirigir aos outros locais, pois a área é MUITO GIGANTE e a pé perderia muito tempo. Paguei 9 euros e você pode pegar o trenzinho quantas vezes quiser - guarde o ticket!

- A primeira parada foi o grand trianon - mas ele abre só as 12h00, então tive que esperar um pouquinho. Mas como foi logo na abertura, estava vazio! Muito lindo lá e os jardins também :)


- Depois fomos ao Petit Trianon - digo "fomos" pois conheci uma canadense que também estava viajando sozinha e desbravamos Versailles juntas :) a gente achou até a fazenda e uma pedra com cascata de tanto que nos "embrenhamos" pela mata rs


Enfim, foi um dia muito gostoso :) não fez um solzão mas estava uma temperatura agradável.

Pra voltar para Paris você faz a mesmo trajeto, só que ao contrário :)

Só não se esqueça de antes de embarcar no trem confirmar que aquele trem volta para Paris!!

Depois postarei como ir para Disney de RER.

Bjs,
Fabianá Oliverrá rs

#Eurotrip2015 - O que achei de Paris

sexta-feira, 12 de junho de 2015
Bem amigos, estou de volta. Depois de muita contagem regressiva, muito siricutico, muito faniquito, enfim, minhas férias chegaram, em 25 de Maio, e simplesmente assim, acabaram, em 06 de Junho.

Fui para Madri (muito pouco, deu nem dois dias), Paris (5 dias) e Londres (4 dias) e vou fazer três relatos sobre minha experiência em cada cidade, começando por Paris.

Eu e minha tattoo escrito "A VIDA É BELA" em francês <3

O que falar de Paris? Paris. Paris sempre foi um sonho meu. Eu sempre sonhei em conhecer Paris numa situação completamente diferente da que foi: queria ir casada, de lua-de-mel, com um marido lindo e encantado. Mas não. Esta viagem caiu no meu colo (veja como aqui) e eu não podia dizer não à esta oportunidade por estar solteira, por não ser lua-de-mel, por não ter companhia, etc. EU FUI. Não é novidade pra mim viajar sozinha, mas ahhhh, era Paris. E minhas expectativas estavam mais altas que a Torre Eiffel.

Não se pode negar: a Torre Eiffel é maravilhosa, o Arco do Triunfo é lindo, a Basílica de Sacré Cœur é divina, o Palácio de Versalles é pura ostentação, a EuroDisney é bem divertida, ou seja: todos os monumentos, pontos turísticos e passeios são inesquecíveis. Maaaaaas eu me decepcionei um pouco com Paris pelo "todo".

Eu, viajando sozinha, não tendo ninguém pra dividir despesas, tive uma viagem bem econômica. Andei de metrô o tempo todo, fiquei hospedada num Íbis Budget na região 19, fui pra Versailles e Disney de trem, ou seja: vivi o dia-a-dia de Paris junto com a população. Portanto, aquela Paris vista dos taxis, dos hotéis em ótimas regiões, eu não vivi.

Por isso eu confesso: FIQUEI COM MUITO MEDO DE ANDAR SOZINHA EM PARIS. A região do meu hotel era MUITO FEIA. Tanto que eu evitei a todo custo fazer algum passeio a noite - e não ter visto a torre toda iluminada a noite me frustrou muito :(

Então, eis a 1ª decepção: a falta de segurança para os turistas

Migos, vejam que a tensão está estampada na minha cara!

Eu já tinha lido bastante coisa sobre a falta de segurança em Paris, sobre os golpes, sobre os furtos, então já fui bem assustada pra lá. Na semana que antecedeu minha viagem os funcionários da Torre Eiffel haviam fechado a atração em protesto à falta de segurança do local, ou seja: eu estava pirando antes de chegar.

O único "luxo" que me dei em Paris foi ter contratado um serviço de transfer do aeroporto para o hotel e do hotel para o aeroporto, e quando estávamos chegando ao hotel o motorista mandou eu tomar cuidado se fosse usar o metrô pois muitos turistas eram furtados... Caras, eu tava tensa!

Graças a Deus e minha constante neura vigilância eu não tive nenhum episódio adverso por lá, mas eu não me diverti. Eu não estava tranquila. Eu andava na rua super atenta, eu pegava o metrô super alerta, eu chegava nas atrações com a cara feia rs... E não era nem por medo de que me roubassem dinheiro (porque eu levei apenas o necessário para uma estadia modesta), ou itens de valor (um iPhone 4S com o vidro todo trincado não ia me fazer chorar), mas já pensou se me furtassem o passaporte? Cartão? Eu não sei nem qual é a posição que se deve tomar num roubo de passaporte - mas eu sei que as minhas férias estariam arruinadas para sempre se algo de ruim acontecesse.

Eu passei dois dias inteiros fora de Paris - um dia em Versailles e outro na Disney (farei posts sobre dicas a parte) e ali sim eu tive momentos de tranquilidade... mas em Paris? Andando pelas ruas? No way.

Vendedores ambulantes EM TODO LUGAR. Te oferecendo pau de selfie, chaveirinho, lenço... E você fala não e os caras vem atrás, te intimidam, te cercam. Um horror! Na região do Louvre, nos Jardins das Tulherias, na Torre Eiffel então PUTA COISA CHATA! E assustador. Não estou generalizando, mas li muito relato de turista que foi furtado por esses caras - é lógico que tinha gente honesta ali querendo ganhar seu dinheiro, mas por conta de uns, eu tinha medo de todos sim.

E aqueles jovens irritantes pedindo pra você assinar algum abaixo-assinado em prol de alguma causa? Na Champs Elysees vinha uma dupla me abordar a cada 100 metros. De novo: acredito que nem todos eram golpistas, mas como tinha lido sobre furtos por tipos assim, eu temia todos eles.

A Basílica de Sacré Cœur foi um episódio a parte. É a região que mais tem relatos sobre abordagens aos turistas: dizem que na subida ou na descida ficam uns golpistas amarrando fitinha no braço de todo mundo, e depois querem dinheiro. Mas não é só isso: eles são violentos, se você não aceita eles te enfrentem, te ameaçam, e puxam até faca (aconteceu com um colega de trabalho). Então eu tava com MUUUUUUUUUUITO MEDO de ir lá. Mas eu precisava ir - do alto do morro onde fica a igreja tem-se a vista mais bonita (e de graça!) de Paris. E eu fui. Só levei a máquina fotográfica, um passe me metrô e a chave do meu quarto. E para não levantar suspeitas de que eu era turista eu fiz um PENTEADO DE FRANCESA hahahahahah (veja o que é aqui e aqui)... juro! Situações drásticas exigem medidas desesperadas :) no fim, não sei se eles me acharam local ou não, mas ninguém me abordou e deu tudo certo - e as fotos ficaram bem bonitinhas com meu penteadinho hihihi



Então, tirando a falta de segurança, a 2ª decepção: as pessoas

Eu não esperava muito do povo francês: sempre li que eles eram grossos, nada simpáticos, etc. E por sorte 90% das vezes que precisei interagir com os franceses foi uma experiência ok - alguns até muito simpáticos e dispostos a ajudar. Mas vivi uma experiência tão desagradável no meu hotel. Aquele transfer que me levaria ao aeroporto, que comentei mais acima, estava marcado para 7h45 da manhã. Desde as 7h00 eu já estava no hall do hotel aguardando, mas eu queria confirmar se estava tudo confirmado - pedi então para fazer uma ligação 0800 para a central da empresa, mas o recepcionista simplesmente disse NÃO e me mandou procurar por telefone público na rua. O grande problema é que não existia telefône público na rua. Eu me ofereci pra pagar pela ligação e o cara não quis nem saber, me largou lá, com cara de foca.

Na verdade acho que a minha decepção então é com o staff do Hotel, e não com as pessoas em geral, então corrigindo: ALÔ ACCOR, VAMOS TREINAR MELHOR SEUS FUNCIONÁRIOS!!!

Enfim, resumo da ópera:
- Se gostei de Paris? Claro que gostei, foi a realização de um sonho, mas minhas expectativas eram maiores.
- Pretendo voltar? Com certeza! Mas desta vez acompanhada e com mais budget pra poder ficar num hotel em melhor região e poder andar de taxi... E VER A TORRE ILUMINADA A NOITE!!!

Quando: 27/Mai a 01/Jun
Onde fiquei: Hotel Ibis Budget Paris La Villette (veja resumo do hotel no Trip Advisor) 
Transporte: Público dentro de Paris (metrô) - usei os passes diários, para mim compensava mais comprar 10 por EUR 14,80 e o transfer foi pela Parishuttle
O que eu fiz: Louvre (comprei o ticket pela internet antes neste site), Versailles (comprei o ticket antes pela internet através deste site), EuroDisney (comprei o ticket antes pelo site deles), bastidores da Torre Eiffel e subida no segundo andar da torre (comprei o ticket pela internet antes neste site) e dois dias para andar pela cidade eu segui estes roteiros a pé:

Dia 1
Dia 2
Meio dia

Bom, é isso :) depois farei dois posts separados para dar dicas de como ir para Versailles e EuroDisney de trem.

Bjs,
Fabi

Intercâmbio (Vancouver/Canadá) :: ♡ a viagem mais longa ♡

domingo, 10 de maio de 2015
Hora de relembrar minha experiência mais longa fora de casa: um intercâmbio de 30 dias em Vancouver, no Canadá. Aconteceu em 2008 e decidi meio por acaso, na época era o destino mais barato (sempre sonhei em fazer intercâmbio em Nova York) então fui...

Nunca havia ficado tanto tempo longe de casa e sozinha. Pro México foi só 1 semana e na Copa eu fui com meu pai. Este intercâmbio fomos somente eu e Deus rs.

Fiquei na casa de uma família bem querida, eles não eram canadenses de fato, eram filipinos, mas moravam lá havia 20 anos. Foi bem bacana, tinham outros intercambistas na casa, eles tinham bastante experiência em receber estudantes.

Esta era a rua "da minha casa":


Cheguei lá no dia 01 de Setembro e era feriado... então lembro que cheguei na cidade, não conhecia ninguém e entrei numa comunidade no Orkut sobre intercâmbio em Vancouver em Setembro de 2008, lá conheci a Miriam e ela me chamou pra ir no Stanley Park. Vi na internet como fazia pra ir lá de ônibus e fui. Alugamos uma bicicleta e foi bem bacana, demos a volta no parque e depois fomos conhecer mais a cidade - comer um hot dog na Vancouver Art Gallery, tomar sorvete em Granville Island etc.






Eu estudava de manhã e a tarde, então não tínhamos muito tempo de sair durante a semana. De sexta-feira tinha somente aula de manhã, então dava pra passear mais. Numa sexta a tarde fomos no Parque Capilano que tem uma ponte suspensa que foi filmado um filme do Indiana Jones



Durante a semana dava pra conhecer coisas pela cidade mesmo, que não era muito longe, tipo um estádio chamado BC Place, o Aquario de Vancouver, que fica dentro do Stanley Park, etc...

Um passeio legal para passar um dia é a Grouse Mountain. Os atletas se aventuram a subir a montanha. Eu até tentei. Mas desisti e voltei 10 min depois e peguei o bondinho RISOSSSSSS neste dia uma afiliada da Rede Globo de Campinas estava fazendo uma reportagem sobre a montanha e nos entrevistou. Lá é bem bonitinho, tem uns shows dos Lumberjacks, uns ursos, show de aves... Eu até tirei uma foto maravilhosa da águia pousando (que me rendeu o prêmio num concurso quando eu trabalhava na Siemens)









Vancouver é muito perto de Seattle e quem tem visto americano pode se aventurar por lá. Pra mim foi o maior programa de índio com selo Funai de qualidade! Explico: eu fui com uma empresa de busão, comprei o pacote, era bate e volta mesmo. Porém, no mesmo busão tinha turistas que compraram o pacote pra ver jogo de baseball em Seattle. Outros que iam nos outlets de lá. E eu não ia fazer nada disso, ia conhecer as coisas pelo centro mesmo. Então o busão deixava a galera do jogo antes, depois a galera dos outlets, pra deixar a gente... E depois começava a pegar primeiro pra voltar pra Vancouver a galera do passeio no centro, depois do outlet e depois do basebal. Resumindo: a gente teve 45 minutos pra "conhecer" Seattle. Deu pra comer no Mc e tirar foto. Só. O Space Needle eu só vi do busão rs.






Um dos lugares que MAAAAAAAIIIIISSSSSSSSSSS gostei em Vancouver foi o Queen Elizabeth Park - ele não é tão famosão igual o Stanley Park mas é MUITO MAIS LINDO. Cheio de jardins. E chafariz. E aaaaiiiii sou suspeita









Fizemos bate-volta pra Victoria, capital de British Columbia e se eu não me engano a umas 2 horas de Vancouver. Tem que pegar metrô, balsa, etc... muito gostosinha a viagem :) e a cidade é muito fofa! O dia estava lindo e foi bem gostosinho







Lembram do programa de Índio que foi a viagem pra Seattle? Então, a gente reclamou pq o passeio não foi barato e a gente nem quase saiu de dentro do ônibus, então a agência deu pra gente um bate-volta pra Whistler, a cidade sede dos Jogos de Inverno de 2010. No final das contas foi bem legal :)











O último passeio foi um final de semana para Rocky Mountains e foi o passeio mais legal. Apesar de ser MUUUUUUUUITO cansativo, passar tipo a maior parte do tempo dentro de um ônibus foi muito legal, eu jamais vou esquecer o Lake Louise, coisa linda aquela vista.








E a essa altura do campeonato eu já estava morreeeeeeeeeeeendo de saudade da minha casa, da minha mãe, da minha família, de todo mundo que eu amava, não aguentava mais Canadá, não aguentava mais nada, só queria ir embora. Eu sofri tanto nesta viagem que emagreci 3kg (nem parece eu sei, tava um bucho hauahauahua) mas enfim, valeu muito a experiência.

Indico demais, Vancouver é linda, mas para aprender inglês eu não sei se seria o melhor local, tem muito oriental na cidade, tipo MUITO. Você raramente tromba com canadense mesmo. Ah, e eu ainda tenho vontade de fazer meu intercâmbio em NY <3

Final do curso (escola VEC Vancouver English Centre) e minha família por lá:





E quando cheguei em casa tinha surpresa pra mim siiiiiiimmmmm, e pode ser cafona simmmmm, e pode ser brega simmmmmm mas EU NÃO TO NEM AÍ!!!!!! Amo minha família demais e chorei igual criança quando revi todos eles <3

Quando: 2008
Duração: 30 dias
Países: Canadá (Vancouver, Victoria, Whistler e Rocky Mountains) e um teco de EUA (Seattle)
Onde fiquei: Casa de família filipina que moravam em Vancouver havia 20 anos
Voltaria novamente: pra Vancouver não, deu pra conhecer bem. Iria pra Toronto.