#Eurotrip2015 - O que achei de Paris

sexta-feira, 12 de junho de 2015
Bem amigos, estou de volta. Depois de muita contagem regressiva, muito siricutico, muito faniquito, enfim, minhas férias chegaram, em 25 de Maio, e simplesmente assim, acabaram, em 06 de Junho.

Fui para Madri (muito pouco, deu nem dois dias), Paris (5 dias) e Londres (4 dias) e vou fazer três relatos sobre minha experiência em cada cidade, começando por Paris.

Eu e minha tattoo escrito "A VIDA É BELA" em francês <3

O que falar de Paris? Paris. Paris sempre foi um sonho meu. Eu sempre sonhei em conhecer Paris numa situação completamente diferente da que foi: queria ir casada, de lua-de-mel, com um marido lindo e encantado. Mas não. Esta viagem caiu no meu colo (veja como aqui) e eu não podia dizer não à esta oportunidade por estar solteira, por não ser lua-de-mel, por não ter companhia, etc. EU FUI. Não é novidade pra mim viajar sozinha, mas ahhhh, era Paris. E minhas expectativas estavam mais altas que a Torre Eiffel.

Não se pode negar: a Torre Eiffel é maravilhosa, o Arco do Triunfo é lindo, a Basílica de Sacré Cœur é divina, o Palácio de Versalles é pura ostentação, a EuroDisney é bem divertida, ou seja: todos os monumentos, pontos turísticos e passeios são inesquecíveis. Maaaaaas eu me decepcionei um pouco com Paris pelo "todo".

Eu, viajando sozinha, não tendo ninguém pra dividir despesas, tive uma viagem bem econômica. Andei de metrô o tempo todo, fiquei hospedada num Íbis Budget na região 19, fui pra Versailles e Disney de trem, ou seja: vivi o dia-a-dia de Paris junto com a população. Portanto, aquela Paris vista dos taxis, dos hotéis em ótimas regiões, eu não vivi.

Por isso eu confesso: FIQUEI COM MUITO MEDO DE ANDAR SOZINHA EM PARIS. A região do meu hotel era MUITO FEIA. Tanto que eu evitei a todo custo fazer algum passeio a noite - e não ter visto a torre toda iluminada a noite me frustrou muito :(

Então, eis a 1ª decepção: a falta de segurança para os turistas

Migos, vejam que a tensão está estampada na minha cara!

Eu já tinha lido bastante coisa sobre a falta de segurança em Paris, sobre os golpes, sobre os furtos, então já fui bem assustada pra lá. Na semana que antecedeu minha viagem os funcionários da Torre Eiffel haviam fechado a atração em protesto à falta de segurança do local, ou seja: eu estava pirando antes de chegar.

O único "luxo" que me dei em Paris foi ter contratado um serviço de transfer do aeroporto para o hotel e do hotel para o aeroporto, e quando estávamos chegando ao hotel o motorista mandou eu tomar cuidado se fosse usar o metrô pois muitos turistas eram furtados... Caras, eu tava tensa!

Graças a Deus e minha constante neura vigilância eu não tive nenhum episódio adverso por lá, mas eu não me diverti. Eu não estava tranquila. Eu andava na rua super atenta, eu pegava o metrô super alerta, eu chegava nas atrações com a cara feia rs... E não era nem por medo de que me roubassem dinheiro (porque eu levei apenas o necessário para uma estadia modesta), ou itens de valor (um iPhone 4S com o vidro todo trincado não ia me fazer chorar), mas já pensou se me furtassem o passaporte? Cartão? Eu não sei nem qual é a posição que se deve tomar num roubo de passaporte - mas eu sei que as minhas férias estariam arruinadas para sempre se algo de ruim acontecesse.

Eu passei dois dias inteiros fora de Paris - um dia em Versailles e outro na Disney (farei posts sobre dicas a parte) e ali sim eu tive momentos de tranquilidade... mas em Paris? Andando pelas ruas? No way.

Vendedores ambulantes EM TODO LUGAR. Te oferecendo pau de selfie, chaveirinho, lenço... E você fala não e os caras vem atrás, te intimidam, te cercam. Um horror! Na região do Louvre, nos Jardins das Tulherias, na Torre Eiffel então PUTA COISA CHATA! E assustador. Não estou generalizando, mas li muito relato de turista que foi furtado por esses caras - é lógico que tinha gente honesta ali querendo ganhar seu dinheiro, mas por conta de uns, eu tinha medo de todos sim.

E aqueles jovens irritantes pedindo pra você assinar algum abaixo-assinado em prol de alguma causa? Na Champs Elysees vinha uma dupla me abordar a cada 100 metros. De novo: acredito que nem todos eram golpistas, mas como tinha lido sobre furtos por tipos assim, eu temia todos eles.

A Basílica de Sacré Cœur foi um episódio a parte. É a região que mais tem relatos sobre abordagens aos turistas: dizem que na subida ou na descida ficam uns golpistas amarrando fitinha no braço de todo mundo, e depois querem dinheiro. Mas não é só isso: eles são violentos, se você não aceita eles te enfrentem, te ameaçam, e puxam até faca (aconteceu com um colega de trabalho). Então eu tava com MUUUUUUUUUUITO MEDO de ir lá. Mas eu precisava ir - do alto do morro onde fica a igreja tem-se a vista mais bonita (e de graça!) de Paris. E eu fui. Só levei a máquina fotográfica, um passe me metrô e a chave do meu quarto. E para não levantar suspeitas de que eu era turista eu fiz um PENTEADO DE FRANCESA hahahahahah (veja o que é aqui e aqui)... juro! Situações drásticas exigem medidas desesperadas :) no fim, não sei se eles me acharam local ou não, mas ninguém me abordou e deu tudo certo - e as fotos ficaram bem bonitinhas com meu penteadinho hihihi



Então, tirando a falta de segurança, a 2ª decepção: as pessoas

Eu não esperava muito do povo francês: sempre li que eles eram grossos, nada simpáticos, etc. E por sorte 90% das vezes que precisei interagir com os franceses foi uma experiência ok - alguns até muito simpáticos e dispostos a ajudar. Mas vivi uma experiência tão desagradável no meu hotel. Aquele transfer que me levaria ao aeroporto, que comentei mais acima, estava marcado para 7h45 da manhã. Desde as 7h00 eu já estava no hall do hotel aguardando, mas eu queria confirmar se estava tudo confirmado - pedi então para fazer uma ligação 0800 para a central da empresa, mas o recepcionista simplesmente disse NÃO e me mandou procurar por telefone público na rua. O grande problema é que não existia telefône público na rua. Eu me ofereci pra pagar pela ligação e o cara não quis nem saber, me largou lá, com cara de foca.

Na verdade acho que a minha decepção então é com o staff do Hotel, e não com as pessoas em geral, então corrigindo: ALÔ ACCOR, VAMOS TREINAR MELHOR SEUS FUNCIONÁRIOS!!!

Enfim, resumo da ópera:
- Se gostei de Paris? Claro que gostei, foi a realização de um sonho, mas minhas expectativas eram maiores.
- Pretendo voltar? Com certeza! Mas desta vez acompanhada e com mais budget pra poder ficar num hotel em melhor região e poder andar de taxi... E VER A TORRE ILUMINADA A NOITE!!!

Quando: 27/Mai a 01/Jun
Onde fiquei: Hotel Ibis Budget Paris La Villette (veja resumo do hotel no Trip Advisor) 
Transporte: Público dentro de Paris (metrô) - usei os passes diários, para mim compensava mais comprar 10 por EUR 14,80 e o transfer foi pela Parishuttle
O que eu fiz: Louvre (comprei o ticket pela internet antes neste site), Versailles (comprei o ticket antes pela internet através deste site), EuroDisney (comprei o ticket antes pelo site deles), bastidores da Torre Eiffel e subida no segundo andar da torre (comprei o ticket pela internet antes neste site) e dois dias para andar pela cidade eu segui estes roteiros a pé:

Dia 1
Dia 2
Meio dia

Bom, é isso :) depois farei dois posts separados para dar dicas de como ir para Versailles e EuroDisney de trem.

Bjs,
Fabi

0 comentários:

Postar um comentário